Credenciada ANVISA para a emissão do Certificado internacional de Vacinas

jovens.jpg

 

O que é meningite meningocócica?

A meningite é uma inflamação que acomete as membranas que envolvem o cérebro, chamadas meninges.
Causada pela bactéria meningococo (Neisseria meningitidis), também é conhecida por doença meningocócica, uma infecção gravíssima, muitas vezes fatal: 50 – 80 % dos infectados sem tratamento, morrem pela doença e 10 a 15 % dos que recebem tratamento também. 

Cerca de 12–20% dos sobreviventes permanecem com sequelas graves: paralisia cerebral, deficiência mental, amputações de membros, surdez, convulsões. 
A OMS- Organização Mundial de Saúde já considera a meningite meningocócica uma infecção endêmica em várias partes do planeta e alerta para a importância da prevenção através de programas efetivos de vacinação da população humana.


Meningite meningocócica = Doença invasiva = septicemia

 

E pode se complicar na forma de:
. pneumonia
. endoftalmia
. arthrites
. pericardites
. miocardites

 

Quem tem maior risco de desenvolver meningite?

 

Meningite meningocócica afeta todos os indivíduos, mas os menores de 1 ano são os mais susceptíveis devido à imaturidade de seu sistema imunológico.
Atualmente, têm ocorrido picos maiores em adolescentes e adultos jovens, que permanecem a maior parte do tempo em locais fechados, como salas de aula, transportes coletivos, locais de eventos.

 

E a transmissão da meningite: como se dá? 

 

Meningite é altamente contagiosa, alguns indivíduos podem transmitir sem contraí-la (10%). Estes são chamados de carreadores.
O carreador tem a bactéria em seu trato respiratório e tem grande importância na disseminação da meningite meningocócica.

 

Os principais transmissores da meningite são adolescentes e adultos jovens.
Fatores ambientais também aumentam a transmissão da meningite, como exposição à fumaça de cigarro, por exemplo, muito comum entre adultos jovens. O contato entre mucosas orais através do beijo também é um fator importante.

São conhecidos como infectantes do homem, 12 sorotipos de meningococo, mas 6 são mais frequentes: A, B, C, W, X, e Y – todos responsáveis por doença invasiva ou infecção generalizada.


Distribuição Global da meningite meningocócica

 

O meningococo se distribui de forma dinâmica em todo o planeta, passando a ser frequente em uma determinada região durante um tempo e migrando para outras regiões logo após. 

 


O planeta se tornou pequeno com a alta demanda de viajantes e a meningite meningocócica é rapidamente disseminada.

 


 Antigamente, meningite meningocócica se manifestava em surtos nas grandes metrópoles, mas hoje pode ocorrer em qualquer local do planeta e se manifestar de modo endêmico, apresentando casos frequentes. 

 

 
A VACINA É O PRINCIPAL MEIO DE PREVENIR A MENINGITE

 

A vacinação contra meningite meningocócica tem duas finalidades: evitar a doença invasiva e reduzir a transmissão por carreadores, fenômeno conhecido como efeito rebanho, fundamental para se estabelecer um controle da doença em grandes populações.

Existem atualmente, três vacinas meningocócicas recomendadas pela OMS e licenciadas no Brasil:


Vacina contra o meningococo C

Disponível tanto na rede pública quanto nas clinicas particulares, está rescomendada com 3, 5 e 12 meses em bebês e também para adolescentes entre 12 e 13 anos de idade.


Vacina contra os meningococos A, C, W e Y:

Indicada com 3, 5 9 meses e um reforço após 12 meses.  Para os não vacinados quando bebês, está indicada uma dose a cada 5 anos (inclusive adolescentes, adultos jovens e até idosos).


Vacina contra o meningococo B:
Importante, principalmente em nosso país, pois este sorotipo é o segundo mais frequente em nosso meio, além do meningococo C.


A vacinação é muito segura e eficaz e de extrema importância já que previne uma doença severa e fatal.
Muitos pais têm receio de vacinar seus filhos, pois são relatados casos de febre alta após a vacinação, principalmente em menores de 6 meses de idade. A febre pode ser evitada com a prescrição de antitérmicos, mas a meningite somente pode ser evitada com a vacinação.
Em crianças maiores de 6 meses e adultos, a reação mais comum é a dor local, que pode eventualmente vir acompanhada de vermelhidão e inchaço, também perfeitamente tratáveis.


Doses da vacina contra meningite B:
Menores de 6 meses: doses com 3 – 5 – 7 meses com reforço após 12 meses.
Entre 6 a 12 meses: doses com 7 e 9 meses e um reforço com 2 anos.
Maiores de 12 meses até 10 anos: 2 doses com intervalo de 2 meses.
> e = a 11 anos (adolescentes, adultos em qualquer idade): 2 doses com intervalo de 1 mês.

 

 

Quais as vacinas meningocócicas mais indicadas para a população brasileira?

Estudos epidemiológicos recentes comprovam que no Brasil prevalecem os meningococos C e B, com um aumento gradativo dos meningococos Y e W, portanto, seguramente tanto a vacina tetravalente (ACWY) como a vacina contra o meningococo B estão indicadas.

 

Dê um

basta para a

 

 

Meningite meningocócica 

 

 

 

 

Vacine sua família!

Credenciada ANVISA para a emissão do Certificado Internacional de Vacinas