Clínica de Vacinas

 

 

Saiba o que é meningite Meningocócica

 

importante3.jpg

 

 

A doença meningocócica é uma infecção generalizada, causada por uma bactéria, a Neisseria meningitidis, conhecida como meningococo,  e que pode se manifestar como meningite, inflamação das membranas que recobrem o cérebro.

Apresenta uma mortalidade de mais de  50% dos  infectados e mais de 10% desenvolvem sequelas graves.

 

Quais meningococos são mais comuns no Brasil, atualmente?

 

Cinco meningococos infectam humanos: os meningococos B, C, W, Y, X e A, acarretando epidemias todos os anos.
O meningococo B é o de maior incidência em crianças menores de 5 anos de idade e adultos jovens (principalmente universitários). O meningococo do sorogrupo C predomina em outras outras faixas etárias, seguidos do W e Y.

 

Como se transmite o meningococo?

 

Ocorre através de gotículas respiratórias, nasais e da garganta, em ambientes fechados, como salas de aula, aviões, ônibus e outros meios de transportes coletivos, clubes, shoppings, hotéis, salas de aula, salões de festas e locais onde há shows, baladas, shoppings, berçários e creches, onde a bactéria passa  de pessoa a pessoa.
 

O período de incubação é de 04 dias, em média (2-10 dias) e os prinicpais carreadores do meningococo são adolescentes e adultos jovens.

A porta de entrada são as vias respiratórias, de onde o meningococo pode invadir a corrente sanguínea e infectar todo o organismo (infecção generalizada). Cerca de 10 a 20% da população humana tem o meningococo alojado em sua orofaringe, e o transmitem a outras pessoas, sendo carreador da bactéria.

 

Síntomas da doença meningocócica

 

Os sintomas iniciais da doença meningocócica  são inespecíficos e aparentam a  uma virose ou estado gripal, mas após algumas horas, podem evoluir para o choque, com manchas roxas pela pele e mucosas, além de rigidez de nuca, febre de 41 graus, coma e até a morte, devido à septicemia (5 a 10% dos pacientes vão a óbito 24 a 48 h após os primeiros sintomas).

 

Sequelas decorrentes da meningite meningocócica

 

Alguns pacientes com meningite meningocócica acabam desenvolvendo sequelas neurológicas graves, como:

- déficit cognitivo com incapacidade de aprendizagem

- síndrome convulsiva grave

- surdez neurológica

- paralisia cerebral

- déficit da fala e movimento

- abscessos cerebrais

- hidrocefalia

- necrose com necessidade de amputação dos membros

 

Diagnóstico de meningite meningocócica

 

O diagnóstico é confirmado após a análise do líquido cefalorraquidiano e do sangue, exame microscópico e cultura, provas de aglutinação e através da reação de cadeia de polimerase – PCR. É muito importante a sorotipagem, para que se possa identificar qual meningococo foi o agente causal. Essa identificação irá auxiliar no tratamento além de auxiliar  em dados epidemiológicos (quais os principais meningococos em determinada região, para melhor controle da doença).
 

Tratamento da doença meningocócica

 

Para que o tratamento possa ser efetivo, deve-se diagnosticar  o mais rápido possível, pois a evolução da doença é fulminante. Os pacientes devem ser isolados e seus contatos, devem iniciar a profilaxia com antibióticos e  vacinas meningocócicas.

Pacientes com doençA meningoc

ocica geralmente permanecem longos períodos em unidades de tratamento intensivo, pois a doença meningocócica compromete todos os órgãos vitais, podendo evoluir para o  estado de choque septicêmico.

Infelizmente uma grande porcentagem vai a óbito, mesmo com o tratamento adequado.

 

 

A prevenção da meningite meningocócica através da vacinação

 

Tipos de vacinas meningocócicas:

 

  • Vacina ACW e Y: são vacinas compostas de açúcares (polissacarídeos) da cápsula de quatro bactérias, associados a proteínas carreadoras  (vacina conjugada).
    Não causam meningite, pois não possuem bactérias em sua composição. Também são muito seguras, e acarretam reações leves e locais, em uma minoria dos vacinados.
    Bebês devem ser vacinados a partir dos 03 meses de idade, pois, quanto menor a faixa etária, maior o risco para meningites meningocócicas. São indicadas 02 doses antes com 3 e 5 meses e um reforço após 12 meses.


     

Vacina meningite B: trata-se de uma vacina composta de 04 proteínas estruturais do meningococo B e  também não contém a bactéria.  Essas proteínas estimulam a produção de anticorpos sem acarretar a meningite. Bebês menores de 01 ano de idade são os mais susceptíveis a desenvolver meningite B e, pois isso têm maior indicação desta vacina. 
Algumas crianças podem evoluir com dor local ou febre, mas estudos comprovam que essas reações   não são graves e podem ser facilmente tratadas. 

 

  •  Posso atrasar a vacinade meningite B?
     

A vacina de meningite B, por desinformcão, muitas vezes assusta pais de crianças pequenas e estes acabam protelando a vacinação  para depois de 01 ano de idade. É importante enfatizar que são exatamente os bebês menores de 12 meses que têm maior risco para desenvolver meningite B, devido à imaturidade seu sistema imunológico. Atrasar a vacina de meningite B tráz risco de desenvolverem a doença.
A doença meningocócica é infinitamente mais grave que os sintomas vacinais, sendo estes perfeitamente tratáveis ou evitáveis. Deixar de vacinar bebês por causa de reações pode acorrer em risco de meningite,  choque septicêmico e óbito.

 

  • Adultos podem ser vacinados contra meningite?

 

Adolescentes devem ser vacinados e adultos jovens também (inclusive gestantes e portadores de imunodeficiência). Suia indicação é absoluta para essas faixas etárias, tanto para a meningite B quanto para as meningites A, C, W e Y. 
A vacina de meningite AVWY é segura para idosos, devendo ser prescrita, pois pessoas acimade 50 anos de idade, por causa do processo de senescência, têm maior predisposição a infecção por bactérias capsuladas, como o meningococo e o pneumococo. A vacina menoingote B ainda não tem muitos estudos para essa faixa etária, portanto ainda estamos aguardando para sua indicação ( a critério médico a vacina pode ser indicada, de modo "off label".

Dra. Maria do Carmo Duarte Oliveira

Pediatra especializada em Imunizações e Medicina de Viagem
Responsaável Técnica

Clínica de Vacinas imunity
 




DOENÇA MENINGOCÓCICA É GRAVE

Pense: vacine quem você ama.

 

Referências bibliográficas


1. La enfermedad meningocócica y las vacunas: algunas respuestas y todavía muchas preguntas. / [Meningococcal disease and vaccines: still many questions and some answers]. 

Godoy, Pere;  Castilla, Jesús;  Astray, Jenaro;  Tuells, José;  Barrabeig, IreneDomínguez, Àngela

Gac Sanit ; 2019 Nov 22.

 

2. Prevention and control of meningococcal disease: Updates from the Global Meningococcal Initiative in Eastern Europe. 

Bai, Xilian;  Borrow, Ray;  Bukovski, Suzana;  Caugant, Dominique A;  Culic, DavorDelic, Snezana;  Dinleyici, Ener Cagri;  Eloshvili, Medeia;  Erdosi, Tímea;  Galajeva, Jelena;  Krízová, Pavla;  Lucidarme, Jay;  Mironov, Konstantin;  Nurmatov, ZuridinPana, Marina;  Rahimov, Erkin;  Savrasova, Larisa;  Skoczynska, Anna;  Smith, Vinny;  Taha, Muhamed-Kheir;  Titov, Leonid;  Vázquez, Julio;  Yeraliyeva, Lyazzat

J Infect ; 2019 Nov 01.

 

3. Health impact and cost-effectiveness of introducing the vaccine (Bexsero) against MenB disease into the Brazilian immunization programme. 

Moura Silveira, Marcelle;  McBride, Alan J A;  Trotter, Caroline L

Vaccine ; 37(45): 6783-6786, 2019 Oct 23.

 

4. Neisseria meningitidis and meningococcal disease: recent discoveries and innovations. 

Read, Robert C

Curr Opin Infect Dis ; 32(6): 601-608, 2019 Dec.

 

5. Safety and tolerability of Meningococcus B vaccine in patients with chronical medical conditions (CMC). 

Nicolosi, L;  Rizzo, C;  Gattinara, G Castelli;  Mirante, N;  Bellelli, E;  Bianchini, CPansini, V;  Villani, A

Ital J Pediatr ; 45(1): 133, 2019 Oct 30.

 

 

Clínica de Vacinas 

 

Av. Onze de Agosto 1980, Vila Nova Valinhos, Valinhos SP CEP: 13271-210
 

55 19 3829-1702  /  3849-2930

Whatsapp: 19 981932785

 

Atendimentos
 

Segunda à Sexta: 8:00 - 18:00 h

Sábado: 8:00 - 12:00 h