®

 

 

CLÍNICA 

DE

VACINAS

 

Saiba o que é meningite Meningocócica

 

A doença meningocócica é uma infecção generalizada, causada por uma bactéria, a Neisseria meningitidis, conhecida como meningococo,  e que pode se manifestar na forma de meningite, infecção das membranas que recobrem o cérebro e a medula, denominadas meninges.

Tem uma alto índice de mortalidade ( mais de 50% quando não tratada) e mais de 10% dos infectados permanecem com sequelas graves.

 

Quais meningococos são mais comuns no Brasil, atualmente?

 

- A meningite meningocócica ocorre em todo o planeta e seis bact´rias infectam humanos: os meningococos B, C, W, Y, X e A, acarretando epidemias todos os anos.
Nas Américas, especificamente o Brasil, o meningococo B é o de maior incidência em crianças menores de 2 anos de idade e o sorogrupo C, em todas as outras faixas etárias, seguidos do W e Y.

 

Transmissão da meningite meningocócica

 

Ocorre através de gotículas respiratórias, nasais e da garganta, em ambientes fechados, como salas de aula, aviões, ônibus e outros transportes coletivos, salões de festas e locais onde há apresentação de shows, baladas, dormitórios, shoppings, berçários e creches, onde a bactéria é transmitida de pessoa a pessoa.

O período de incubação é de 04 dias, em média (2-10 dias).

A porta de entrada são as vias respiratórias, de onde o meningococo pode atingir a corrente sanguínea e infectar todo o organismo, de modo generalizado. Cerca de 10 a 20% da população humana tem o meningococo alojado em sua orofaringe, e o transmitem a outras pessoas, sendo carreador da bactéria.

 

Síntomas da doença meningocócica

 

Os sintomas iniciais da doença meningocócica  são inespecíficos e parecem uma virose ou estado gripal, mas após algumas horas, podem evoluir para o choque, com manchas arroxeadas pela pele e mucosas, além de rigidez de nuca, febre de 41 graus, coma e até a morte, devido à septicemia (5 a 10% dos pacientes vão a óbito 24 a 48 h após os primeiros sintomas).

 

Sequelas decorrentes da meningite meningocócica

 

Os sobreviventes da meningite meningocócica acabam desenvolvendo sequelas neurológicas graves, como:

- déficit cognitivo com incapacidade de aprendizagem

- síndrome convulsiva grave

- surdez neurológica

- paralisia cerebral

- déficit da fala e movimento

- abscessos cerebrais

- hidrocefalia

 

Diagnóstico

 

O diagnóstico é confirmado após a análise do líquido cefalorraquidiano e do sangue, através da punção da medula, com a identificação da bactéria através de exame microscópico e cultura, provas de aglutinação e através da reação de cadeia de polimerase – PCR. É muito importante a identificação de sorogrupos, para que se possa identificar qual meningococo foi o agente causal. Essa identificação irá auxiliar no tratamento e também nos dados epidemiológicos sobre os principais meningococos em determinada região, para melhor controle da doença..

Tratamento da doença meningocócica

Deve ser diagnosticado e iniciado o tratamento o mais rápido possível, pois a evolução da doença é fulminante. Os pacientes devem ser isolados e seus contos, receber a profilaxia com antibióticos e também as vacinas meningocócicas, para se protegerem.

Os pacientes devem permanecer longos períodos em unidades de tratamento intensivo, pois a doença meningocócica compromete todos os órgãos vitais, em se tratando de um estado de choque septicêmico.

Infelizmente uma grande porcentagem vai a óbito, mesmo com o tratamento adequado.

 

A prevenção da meningite meningocócica é a melhor atitude e só pode ser feita através da vacinação

 

Tipos de vacinas meningocócicas:

 

  • Vacina contra os meningococos ACW e Y: são vacinas compostas de açúcares da capsula destas bactérias, associados a proteínas carreadoras, chamadas vacinas conjugadas.
    Não causam meningite, pois não possuem bactérias em sua composição. Também são muito seguras, e acarretam reações leves, locais, em uma minoria dos vacinados.
    Bebês devem ser vacinados a partir dos03 meses de idade, pois, quanto menor a faixa etária, maior o risco para meningites meningocócicas.


     
  • Vacina contra o meningococo B: trata-se de uma vacina protéica, ou seja, também não contém a bactéria em sua composição, mas 04 proteínas estruturais, que estimulam a produção de anticorpos sem acarretar a meningite. Bebês menores de 01 ano de idade são os mais susceptíveis a desenvolver meningite B e, pois isso têm maior indicação desta vacina.

    Algumas crianças podem evoluir com dor local ou febre, mas estudos comprovam que as reações da vacina de meningite B  não são graves e são perfeitamente tratáveis. Em bebês, a prescrição de antitérmico meia hora antes da vacinação pode diminuir os sintomas, mas deve ser sempre de responsabilidade médica.

    A vacina de meningite B muitas vezes assusta os pais, pois algumas crianças podem apresentar febre ou dor e estes acabam por protelar a vacinação de seus bebês para após 01 ano de idade. É importante enfatizar que são exatamente os bebês menores de 12 meses que têm maior risco para desenvolver meningite B, devido à imaturidade seu sistema imunológico..

    A doença meningocócica é infinitamente mais grave que os sintomas vacinais, sendo estes perfeitamente tratáveis ou evitáveis. Deixar de vacinar bebês por causa de reações pode acorrer em risco de meningite,  choque septicêmico e óbito.


    Com que idade deve ser iniciada a primeira dose da vacina de meningite B?

    A primeira dose está indicada também aos 03 meses de idade, assim como as vacinas de meningite ACWY e ambas as vacinas podem ser dadas no mesmo dia.




DOENÇA MENINGOCÓCICA É GRAVÍSSIMA!

VACINAR = PREVENIR