Clínica de Vacinas

 

 

Adultos jovens e adolescentes têm maior risco de meningite meningocócica

 

College-Group-e1557169454686.jpg

 

 

Quando se fala em meningite meningocócica, pensa-se somente em infecção das membranas que recobrem o cérebro, mas se esquece de que o meningococo
(Neisseria meningitidis)é uma bactéria com grande capacidade de determinar infecção generalizada (septicemia) acarretando um alto índice de morbidade e mortalidade (50.000 a 135.000 mortes anualmente) em todo o planeta.

Também deixa sequelas graves, como: atraso do desenvolvimento neuropsicomotor, surdez irreversível, necrose  com amputações de membros.

Meningococos que infectam humanos

 

Cinco sorogrupos de meningicoco infectam seres humanos com alta incidência, dependenco da faixa etária: os sorogrupos A, B, C, W e Y

Em todo planeta, os estudos demonstram a seguinte preferência para deerrminadas faixas etárias:

 

- Meningiccoco C: é mais frequente entre adultos

- meningococo B: comum em crianças meniores de 04 anos de idade e adultos jovens, principalmente aqueles que estão cursando a universidade, onde ocorrem epidemias de meningite B.

Os meningiococos A, W e Y são prevalentes na África sub-Saara, mas ultimamente sua incidência tem aumntado em todos os continentes, devido a alta frequência de viajantes internacionais
.

 

Idades com maiorpredisposição da meningite meningocócica

 

A doença meningocócica incide preferencialmente em dois picos de faixa etária:

 

I- Bebês menores de 01 ano: devido à imaturidade de seu sistema imunológico e a incapacidade de se proteger contra bactérias mais resistentes (capsuladas)

 

II- Adultos jovens, devido aos seus hábito de vida. Essa faixa etária tem um alta suscetibilidade de desenvolver doença invasiva e também maiores condições de transmitir a meningite, como carreador da bactéria. Vários estudos comprovam que o fato de adolescentes e adultos jovens permnanecerem por longos períodos em locais de alta concentração de pessoas
favorecem a rápida transmissão e em muitos países a meningite meningócica é considerada uma doença hiperendêmica, com indicação da vacina, não somente para bebês, mas também para essa população de adolescentes e adultos jovens. 

Adolescentes são fortes transmissores de meningite a outras faixas etárias.

 

Estudantes universitários e de ensino médio: grupos de risco para meningite meningocócica

 

Existem inúmeros estudos atualizados que comprovam a presença de surtos de meningite meningocócica dentro das universidades, principalmente devido ao meningococo B e muitos países, como Estados Unidos, Reino Unido e França adotam a vacinação em massa entre as comunidades de jovens Universitários e estudantes de nível médio, com diminuição do índice de in- ternaç!oes hospitalares e morte devidas ao meningococo.

 

Vacina de meningite 

 

O Reino Unido adota  a vacina de meningite para jovens desde 1999, a Holanda, desde 2002, imuniza de 14 meses até 18 anos e o Canadá e Estados Unidos, utilizam a vacinação de rotina dos 11 aos 18 anos, e a estabelecem como critério para o ingresso de muitos estudantes em suas universidades, tendo em vista o grande número de epidemias entre colegiais e universitários.

 

Quais vacinas de meningites estão indicadas para adultos jovens e adolescentes?

 

Estão recomendadas as vacinas meningocócicas ACWY e e meningocócica B

 

Segurança das vacinas meningocócicas 

 

Muitas pequisas utilizando as vacinas de meningite têm comprovado serem vacinas seguras e a reação mais frequente nessas faixas etárias é a dor local seguida de cansaço. Febre não é uma manifestação tão comum nessas faixas etárias.

 

Por que é importante vacinar adolescentes e adultos jovens?

 

A vacinação meningocócica irá diminuir a gravidade e a incidêncioa da doença nessas idades de alto risco para a doença  invasiva e também irá resultar na proteçao individual e também coletiva.

 

Pense: vacine!

 

Dra. Maria do Carmo Duarte Oliveira

Pediatra Responsável Tecnica 
 

Clínica de Vacinas imunity®
Há 20 anos protegendo vidas!

 

Referências bibliográficas

 

  1. Experience implementing a university-based mass immunization program in response to a meningococcal B outbreak. 

    Capitano, Blair;  Dillon, Krista;  LeDuc, Andre;  Atkinson, Bruce;  Burman, Cynthia

    Hum Vaccin Immunother ; 15(3): 717-724, 2019.

 

2.Carriage prevalence of Neisseria meningitidis in the Americas in the 21st century: a systematic review. 

Santos-Neto, José Francisco;  Ferreira, Viviane Matos;  Feitosa, Caroline AlvesMartinez-Silveira, Martha Silvia;  Campos, Leila Carvalho

Braz J Infect Dis ; 23(4): 254-267, 2019.

 

3.Experience implementing a university-based mass immunization program in response to a meningococcal B outbreak. 

Capitano, Blair;  Dillon, Krista;  LeDuc, Andre;  Atkinson, Bruce;  Burman, Cynthia

Hum Vaccin Immunother ; 15(3): 717-724, 2019.

 

4.Prevalence of meningococcal carriage among male university students living in dormitories in Kerman, southeast of Iran. 

Sadeghi, Mohammad;  Ahmadrajabi, Roya;  Dehesh, Tania;  Saffari, Fereshteh

Pathog Glob Health ; 112(6): 329-333, 2018 09.

 

5.Rise in Group W Meningococcal Carriage in University Students, United Kingdom. 

Oldfield, Neil J;  Cayrou, Caroline;  AlJannat, Mahab A K;  Al-Rubaiawi, Ali A AGreen, Luke R;  Dada, Shehzan;  Steels, Oliver D;  Stirrup, Christopher;  Wanford, Joe;  Atwah, Banan A Y;  Bayliss, Christopher D;  Turner, David P J

Emerg Infect Dis ; 23(6): 1009-1011, 2017 06.

 

Clínica de Vacinas imunity

Av. Onze de Agosto 1980 V. Nova Valinhos Valinhos São Paulo  CEP: 13271-210

55 19 3829-1702 / 3849-2930

Whatsapp: 19 981932785

 

Atendimentos
 

Segunda à Sexta: 8:00 - 18:00 h

Sábado: 8:00 - 12:00 h