Jet Lag

 

Problemas devidos a mudanças de fuso horário ou “ Jet Lag”
“Jet lag” pode ocorrer em viagens aéreas que ultrapassam rapidamente a distância de 03 ou mais fusos horários. É uma situação transitória, resultante do lento processo de adaptação do nosso relógio biológico ao tempo de destino, alterando a sincronização de sono/vigília com o novo ambiente.
O hormônio que regula nosso relógio biológico se chama melatonina e é produzido em uma glândula chamada pineal e vai agir em receptores cerebrais (na região do hipotálamo). Sua produção ocorre preferencialmente quando dormimos, diminuindo durante o dia e é responsável pela manutenção do ciclo sono/vigília.  Além do ciclo luz /escuro, exercícios físicos também podem influenciar nosso relógio biológico.

É claro que, outros fatores também influenciam o “jet lag”, como a direção do percurso, as características de sono individuais, o ritmo circadiano do local de destino e o nível de tolerância individual.

Viagens no sentido horário do movimento de rotação da terra
Estão associadas com dificuldade de dormir nos horários habituais de sono e de despertar de manhã. Este tipo de viagem requer um tempo maior de adaptação (geralmente 2/3 do número total de fusos horários ultrapassados).

 Viagens no sentido contrário da rotação de terra
O viajante irá dormir e despertar antes dos horários do que estão acostumados em seu local de origem. O tempo de adaptação, em dias é, em média, de ½ do número de fusos horários ultrapassados.
Viajantes que voam dentro de um mesmo fuso horário têm menor possibilidade de problemas, como um cansaço leve.

 

Sintomas

  • Atraso ou adiantamento do sono além de acordar várias vezes durante.
  • Queda do rendimento físico e mental durante o dia.
  • Pode haver fadiga, dores de cabeça e diminuição da concentração.
  • Perda de apetite e distúrbios gastrointestinais.

Como prevenir estes sintomas
Podem-se minimizar tais sintomas através de uma dieta leve e saudável, exercícios físicos moderados e ajustando o despertador para 1-2 horas mais tarde por alguns dias (se sua viagem foi em sentido contrário aos fusos horários) e 1-2 horas mais cedo se o percurso foi no sentido horário.

  • Procurar maior exposição à luz no período da tarde se a viagem foi  em sentido oeste e no período da manhã, se viajou em sentido leste.
  • Se possível, planejar um percurso com conexões ( pelo menos uma para longas viagens)
  • Evitar ingerir alimentos de difícil digestão, bebidas alcoólicas e cafeína durante a viagem
  • Beber muita água para se permanecer hidratado
  • Movimentar-se periodicamente para aumentar a circulação dos membros inferiores, e relaxar a mente.
  • Aquecer-se confortavelmente através de cobertas e meias.
  • Dormir, se possível.
  • Evitar compromissos importantes de trabalho durante o primeiro dia de desembarque.
  • Procurar se adaptar às rotinas e cultura do local de destino.
  • Alimentação saudável apropriada ao local de destino e evitar álcool e cafeína.
  • Cochilar por curtos períodos de tempo ( 20-30 min) pode aumentar a energia, mas não deve atrapalhar o sono da noite.

A utilização de medicamentos contendo melatonina é controversa, e depende de indicação médica, disponibilidade no Brasil e autorização da ANVISA para tal.

Tratamento
Se, mesmo seguindo as medidas de prevenção, ainda tiver sintomas, deve procurar o serviço de Medicina de Viagem ou seu médico particular mais próximo para minimizá-los. Nunca utilizar medicações sem receita médica, cafeína e outros estimulantes em excesso, realizar pequenos cochilos, tomar vários banhos ao dia e aproveitar mais o sol da tarde.


BIBLIOGRAFIA

  1. Daurat A, Benoit O, Buguet A. Effects of zopiclone on the rest/activity rhythm after a westward flight across five time zones. Psychopharmacology (Berl). 2000 Apr;149(3):241–5.
  2. Dubocovich ML, Markowska M. Functional MT1 and MT2 melatonin receptors in mammals. Endocrine. 2005 Jul;27(2):101–10.
  3. Herxheimer A. Jet lag. Clin Evid. 2005 Jun(13):2178–83.
  4. Jamieson AO, Zammit GK, Rosenberg RS, Davis JR, Walsh JK. Zolpidem reduces the sleep disturbance of jet lag. Sleep Med. 2001 Sep;2(5):423–30.
  5. Reid KJ, Chang AM, Zee PC. Circadian rhythm sleep disorders. Med Clin North Am. 2004 May;88(3):631–51, viii.
  6. Reilly T, Waterhouse J, Edwards B. Jet lag and air travel: implications for performance. Clin Sports Med. 2005 Apr;24(2):367–80, xii.
  7. Sack RL. Clinical practice. Jet lag. N Engl J Med. 2010 Feb 4;362(5):440–7.
  8. Sack RL, Auckley D, Auger RR, Carskadon MA, Wright KP Jr, Vitiello MV, et al. Circadian rhythm sleep disorders: part I, basic principles, shift work and jet lag disorders. An American Academy of Sleep Medicine review. Sleep. 2007 Nov 1;30(11):1460–83.
  9. Waterhouse J, Edwards B, Nevill A, Atkinson G, Reilly T, Davies P, et al. Do subjective symptoms predict our perception of jet-lag? Ergonomics. 2000 Oct;43(10):1514–27.

Waterhouse J, Reilly T, Atkinson G, Edwards B. Jet lag: trends and coping strategies. Lancet. 2007 Mar 31;369(9567):1117–29.